segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Falta Você...

Eu sinto tanto a sua falta… Passar alguns mínimos dias sem você, sem falar com você, sem ao menos conseguir te mandar uma mensagem de oi, é doloroso. Cada segundo parece um século enquanto espero uma resposta; um olá, mesmo sabendo que provavelmente estarei numa correria enorme e não poderei te responder. Porque será que é assim? Porque será que dói tanto? A resposta, ao mesmo tempo que parece óbvia, parece errada. Se isso tudo é porque te amo, porque a esperança continua indo embora? Dizem que no amor verdadeiro tudo é bom, então seria isso um amor de meia verdade? Bom, não me importa isso agora. Tudo que me importa é você. É te ver, falar com você, ouvir a sua voz doce depois de tanto tempo. Ah, como eu queria que você fosse meu vizinho… Eu te veria todos os dias, te abraçaria todos os dias, te beijaria todos os dias… Por enquanto eu apenas te amo todos os dias. Digo “apenas” como se amar fosse pouco; mas com toda a certeza não é tudo. Enfim, deixe que as horas passem e deixe que as folhas amarelem e caiam ao chão. Deixe que os pássaros voem rumo ao sul novamente, e deixe que tudo floresça e dê frutos. Deixe que o forte sol volte a queimar minha pele. Deixe que os anos passem, não me importa. Mas não deixe que passe o nosso amor. Quero que, mesmo após 50 anos, eu possa ter a mesma ansiedade por você como tenho agora em minha juventude. Pode haver distância, mas é fato que um dia; um belo dia, não haverá mais.
- Requiem

Nenhum comentário: