quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Um Anseio

Tudo o que eu queria era que fosse apenas um sonho. Que os gritos e as ameaças fossem imaginárias e que o motivo idiota fosse irreal. Ah, como eu queria que encontrássemos paz. Eu quero sentir paz. Um paz que seja inabalável, principalmente quando estou com você. O ser resignado pelos céus para me proteger. Porque brigamos tanto? Porque entre tantas alegrias que se passaram, hoje só consigo ver as horríveis cenas de discórdia e nossas almas alteradas a gritar e esbravejar? Eu queria te dar paz, e por isso quero partir. Quero partir para nos dar paz a uma deliciosa saudade. Uma saudade que impedirá as brigas todas as vezes que nos virmos. Uma saudade que me fará te tratar como merece e vice-e-versa. Uma paz que me faça não em alterar por motivos bobos. Ah como eu queria um milagre, um milagre que possibilitasse nossa paz sem que fosse necessária minha ida, mas talvez meu tempo por aqui já tenha se esgotado, e isso só seja mais um sinal para que eu me vá.
- Requiem

Nenhum comentário: