quinta-feira, 21 de junho de 2012

Orgulho, egoísmo e etc..

Sair dessa intacta? Acho que era pedir demais. Ninguém sai de um relacionamento completamente intacto, a não ser que não haja amor, mas eu tinha certeza que esse não era o meu caso. Eu o amava com minhas forças e minha vida. Eu morreria por ele, mas intrigas do destino fizeram com que seu amor por mim se esfriasse. Foram uma, duas, três vezes que brigamos por causa de sua frieza, mas eu sempre me punha como a errada e baixava a cabeça. Ele era sempre o certo, e era muito orgulhoso. Até que eu cansei. Demoraram 3 anos, mas eu cansei. E se quer saber, essa lição que eu aprendi vai para o resto da minha vida. Nunca mais serei submissa ao ponto de esquecer de mim mesma, porque quem sofre com isso depois sou só eu.
- Requiem

A verdade sempre te encara

Ela não aguentava mais a dor, ela precisava se isolar um pouco. Parecia que as pessoas não conseguiam falar de outra coisa. Parecia que todos sabiam, e isso a deixava apavorada. Ela correu até achar uma clareira, onde pudesse se sentar e chorar. Chorar, até não existirem mais lágrimas e só sair quando tudo desaparecesse. Era isso que ela queria, mas ela sabia que o máximo que ela poderia fazer era pensar numa forma de encarar tudo aquilo, porque mesmo que agora estivesse tudo calmo, quando ela voltasse, a verdade a encararia.
- Requiem

O que há em mim

Felicidade e tristeza em mim são coisas que aparecem juntas. Posso estar rindo em um momento, porém chorando em poucos minutos. Não sei qual a causa e não entendo como é possível, porém vivo com isso. Acho que a saudade e a ansiedade por carinho confundem minha cabeça a esse ponto, mas me mostram que eu sou humana e que ainda há um pouco de felicidade em mim. Minha criatividade aumenta e meus instintos me levam a compor e a escrever. Fico horas e horas pensando e cantando para mim mesma sem ter nenhuma noção de tempo. Escrevo sobre saudade, escrevo sobre amor, sobre sonhos, vontades, e assim me sinto melhor.
- Requiem

A peste...

Ele era aquele tipo de garoto idiota, bobo, que adora irritar. Quando nós eramos pequenos, tudo o que eu sabia fazer era bater nele. O tempo foi passando e ainda nos odiávamos. Brigávamos sempre até os 12 anos. Passamos quase três anos sem nos ver, porque ele havia mudado de cidade. Não mantivemos contato. Quando chegou a época da minha festa de 15 anos a mãe dele ligou pra minha mãe avisando que eles estariam vindo pra cidade. Não sei porque, mas eu sentia saudades dele. Então pedi a minha mãe que os convidasse para a festa, mas eu não esperava muita coisa dele. Assim que eu o vi entrando no salão eu quase cai pra trás. E não é que a peste estava LINDA naquele smoking? Eu fiquei vidrada nele. Ele estava diferente, tão mudado… Ele me cumprimentou decentemente e me deu um abraço. Naquele momento eu senti algo forte e fora do comum, mas resolvi ignorar. Até que, em meio as homenagens que meus amigos estavam fazendo ele pediu de última hora pra subir no palco. Eu entrei em pânico. Eu não sabia se ele me odiava ainda, não sabia do que ele era capaz. Mas então ele me surpreendeu ao fazer o seguinte discurso: “Sabem, nós nos odiávamos quando pequenos. Não parávamos de brigar nem por um segundo. Ela me batia e eu revidava. Ficávamos nisso por horas. Não suportávamos ficar perto um do outro. Mas depois desses quase três anos longe, descobri que também é insuportável não estar com ela. Nesses três anos eu descobri o quanto a amo, e o quanto ela faz falta. Talvez até hoje ela me odeie, mas eu a amo como nunca amei ninguém.” Ele desceu do pequeno palco enquanto todos aplaudiam. Eu não me controlei e levantei de onde eu estava, e antes que ele pudesse ir para muito longe eu o puxei pelo braço e disse chorando: “Eu não sei porque, mas eu também te amo, sua peste!” Ele sorriu, e num piscar de olhos nosso lábios estavam colados no melhor beijo da minha vida.
- Requiem

Ele era só mais um...

Ele era só mais um galã, como esses de cinema. Tinha muitas garotas a seus pés por causa de sua beleza estonteante. Ele não acreditava no amor e só queria ficar com o maior números de garotas possível. Até que ele a conheceu. Desde o primeiro dia o brilhos daqueles lindos olhos castanhos o prenderam de uma forma inimaginável. Ele passou o dia inteiro lembrando daquele lindo rosto angélico da garota que roubara sua atenção. Cada dia ele se encantava pela sua espontaneidade. A garota tinha um sorriso maravilhoso que o hipnotizava. Ele NUNCA havia parado pra olhar o sorriso de uma garota antes. Mas aquele anjo era uma excessão de todas aquelas que ele já havia visto e conhecido. Ela não podia ser daquele mundo. E por muito tempo ele a observou de longe, na esperança que ela o notasse, mas dentro dele ele achava que isso seria impossível. Até que um dia ele recebe uma carta: “Você não deve nem me notar, mas eu te noto todos os dias. ass: a garota da carteira da direita.” Ele se riu, e olhou pra trás e lá estava ela, vermelha e sem graça. No fim da aula, ele simplesmente a olhou e disse: “Você não deve ter percebido, mas eu me apaixonava por você cada dia mais.”
- Requiem

Revolta

Mesmo que de noite as lágrimas venham, farei questão de enxugá-las do meu rosto. Ninguém terá a satisfação de ver meus olhos inchados e nem a tristeza de sentir falta do meu sorriso. Se eu sinto falta do seu sorriso, DANE-SE. Eu já superei muita coisa pra ficar chorando por você agora. E seu quer saber? Você não me deu o valor que eu merecia, então agora me esquece. Porque eu realmente to cansada de tratar você como minha prioridade. Você até chegou a levar parte de mim, mas eu sou capaz de recriar isso, agora a parte de mim que ficou com você vai te mostrar que assim como você é só mais um, eu fui a ÚNICA!
- Requiem

Isolamento da Alma

Era tarde já. Eu estava sentada em minha cama quando recebi a notícia. Esmeralda ainda estava vivo. Aquilo começou a me corroer por dentro. Ele estava vivo, bem e pronto para fazer com outras o que ele havia feito comigo e da forma mais sádica possível, eu tinha certeza. Naquele momento as lágrimas que por meses não vieram, começaram a surgir sem que eu pudesse respirar. Fui até a janela e fiquei olhando a lua, morrendo de vontade de gritar. Meu mundo não podia desmoronar novamente, pensei. Eu tinha que dar um jeito de me manter forte e ignorar o fato de ele estar vivo, e não me intrometer. Mas estava difícil. Não só porque eu ainda o amava, mas também porque eu tinha a cega esperança de que ele poderia mudar. A partir daquele dia me tranquei no quarto e me dediquei a escrita. Escrevia cartas, frases, poemas e histórias, e assim, as coisas começaram a melhorar. Hoje, foi o primeiro dia que fui ver como estava o mundo lá fora. Ele não estava um arco-íris, mas com certeza estava melhor que da última vez.
- Requiem

Desgaste

Com a cabeça nas nuvens, eu não sei o que fazer. Ele vem na minha mente o tempo todo. Quem diria que alguém depois de Esmeralda me faria sofrer tanto. Sento na frente do computador pensando em algo alegre para digitar, mas ele levou ontem de mim o último pingo de alegria que tinha em mim, e eu estou sem forças para pegá-lo de volta pra mim.
- Requiem

Alma em Desespero

Pelo amor de Deus volta. Eu já não aguento mais ter de fingir que não sinto sua falta! Pelo amor de Deus NOTE! Eu estou com os olhos inchados e vermelhos! Minhas mãos estão geladas, estou com marcas no corpo todo! Você conhece minhas cicatrizes. Por favor me olha! Eu estou calada, mas meus olhos clamam por você! Sei que nesse momento há um anjo comigo me impedindo de levantar da cadeira do computador, pegar uma faca e matar o meu corpo, porque a minha alma já foi morta há muito. Você a matou no momento em que decidiu se afastar. Você me deu a vontade de viver mas também a tirou.
- Requiem

Esmeralda,

“Porque será que você não sai da minha cabeça? Já era pra ter te esquecido! Malditas sejam as minhas lembranças boas com você, porque elas so me impedem cada vez mais de te esquecer completamente!”
- Requiem

Será?

"Será que ele ouve minha voz quando eu canto? Será que ele, assim como eu, procura meu olhar no brilho das estrelas? Será que ele ainda acredita que só a morte nos separa? Será que ele ainda sente amor?". - Essa é a duvida que ainda paira em minha mente, mas há outra que tenta me matar: "Será que eu ainda, depois de tanto tempo saberei amá-lo?"
- Requiem

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O Torturador

Existem coisas que quero esquecer. Existem outras que preciso esquecer. Como os momentos que passamos juntos, ou como o sorriso dele. Oh! O sorriso! Sorriso matador, enlouquecedor, maravilhosamente hipnotizador. Porém sádico, arrogante e auto-suficiente. Ou o olhar dele. Oh! O olhar! Olhar perfeitamente penetrante, convincente e meigo. A armadilha perfeita para todas aquelas que vêem nele o “Príncipe Encantado”. O abraço dele. E que abraço! Mais carinhoso, acolhedor, apaziguador, quente e terno que qualquer outro, mas uma única dose te torna completamente dependente. Os olhos dele. Oh! Os olhos! Do verde mais brilhante e profundo que se pode existir. Quase que dois exemplares das mais belas esmeraldas da terra; porém, olhos gélidos e sem sentimentos reais. As palavras dele. Oh! As palavras! Palavras nada doces, ou meigas; na verdade eram sarcásticas e zombeteiras, mas irritantemente gostosas de se ouvir. A voz dele. Oh! A voz! Hipnotizante, grave, forte e prepotente, música para meus ingênuos ouvidos. Essa é sua mais forte arma, e prende a ele a primeira que ouvi-la. E finalmente ele. Oh! Ele. Um homem cruel, frio, sádico, egoísta, arrogante, irritante, mentiroso, e prepotente, mas inevitavelmente irresistível! Por que inferno eu o amo? Eis a pergunta que nunca ninguém conseguirá responder!
-Requiem

Então, a dor.

“As linhas se romperam. Os milhares de pontos já não ligam as bordas dos profundos cortes e ferimentos no meu peito. Todas as lembranças ruins e sofrimentos irrompem a superfície de minha alma sem motivo aparente. Não há agora corte nos pulsos que doa o bastante para aliviar a dor da alma, por isso já nem vale a pena tentar. É como se não houvesse nada dentro de mim, me sinto vazia e só. E mesmo sem eu levar a sério a opção de acabar com a minha vida, eu não sinto mais vontade de viver.”
- Requiem

Sleeping Sun

“Sinto como se meu sol estivesse dormindo. Cansado de ter que acordar mesmo a noite para enxugar as lágrimas dos meus olhos. Ah, como eu queria me pôr juntamente com o sol, dormir, quieta, pra sempre.”
- Requiem

Querido "Meu",

Será o seu olhar, ou será o seu sorriso? Ou será o seu abraço que fazem da minha vida sem você tão difícil? Eu realmente quero ver o lado bom disso, dessa separação, porque só o fato de os seus amigos não te zoarem não é o bastante para justificar o que tenho sofrido. Eu sorrio para que você não veja a minha dor. Eu te olho o tempo todo, mas disfarço para que você não note. 
Ver o teu sorriso, para mim, é algo bom e ao mesmo tempo ruim. É bom porque eu amo te ver sorrir, e ruim porque o seu sorriso mostra que você está realmente feliz sem mim. A não ser que você seja um ótimo ator, mas nesse caso eu duvido muito que o seja.
Vou te ser sincera… Eu sempre me senti “mais uma” pra você, mas eu não me importava e continuava te tratando como “o único”, afinal, pelo menos eu era “uma” e não “nenhuma”. Mas parece que tinha que dar nisso. Realmente, não dá pra tratar como prioridade quem te trata como opção. E dói saber disso.
Eu tenho certeza de que até hoje você não consegue entender o meu “eu te amo”, mas você talvez só consiga entender quando conseguir amar alguém da forma como eu te amo. Sabe, por causa de “Esmeralda”, eu tava tão triste que pensei diversas vezes em acabar com o meu sofrimento juntamente com a minha vida, mas você tirou essa vontade de mim. Você me devolveu a vontade de viver. Foi POR ISSO que eu comecei a te dar o valor que eu te dou hoje e que você não consegue entender. Eu não sei o que eu faria se acontecesse algo com você. Eu não sei se alguém teria o mesmo efeito sobre mim que você tem. Eu não sei se alguém seria capaz de te substituir.
Sei lá. Às vezes parece que você acha que o que eu digo é da boca pra fora, mas não é! Eu juro! Eu não sei mas talvez ninguém nunca tenha te amado como eu te amo, mas para tudo se tem uma primeira vez. Sabe, eu queria que a nossa amizade durasse para sempre, mas isso não depende só de mim. 
Quando eu vim pra cá pela primeira vez te visitar meu coração batia muito rápido. Eu não sabia qual seria a sua reação ao me ver de novo. E então eu te vi. Fui atrás de você e te puxei pela mochila. Você olhou pra mim e abriu um sorriso lindo que eu nunca havia visto antes. Então você me abraçou e disse que achava que nunca mais me veria. Naquele instante eu quis que o tempo parasse e que eu ficasse para sempre com você, com aquela sensação de proteção paz e alegria que só o SEU abraço me dá. Eu quero essa sensação de volta! Eu quero de volta o amigo que me diz que eu sou importante e que quer que a nossa amizade dure. Eu quero aquele garoto que me deu alegria e que segurou a minha mão quando meu mundo caiu. Eu quero de volta o seu abraço, o seu sorriso e o seu “Eu te amo”. Sinto sua falta. Daquele bobo que fazia todo mundo rir, que era fofo, inteligente, protetor e amigo. Eu quero aquele que me abraçou chorando no fim da formatura e me disse que nunca se esqueceria de mim.
Por Favor, volte!
Com amor e lágrimas, 
Sua Requiem.